quarta-feira, 20 de março de 2013

[Crítica] Linger, de Maggie Stiefvater

Linger (The Wolves of Mercy Falls, #2)Linger by Maggie Stiefvater
My rating: 1 of 5 stars

★☆☆☆☆ { 1.5 }

Sinopse:
Em Shiver, Grace e Sam descobrem-se um ao outro. Agora, em Linger, terão de lutar para ficarem juntos. Para Grace, isto significa desafiar os seus pais e guardar só para si o segredo sobre o perigo que corre. Para Sam, isto significa lutar contra o seu passado como lobisomem... e descobrir uma forma de sobreviver no futuro.
Fonte

Opinião:
Este livro é o segundo volume da trilogia Os Lobos de Mercy Falls, de Maggie Stiefvater.

Em primeiro lugar, o título do livro não faz sentido. O primeiro volume fez sentido - Shiver, em português calafrio/arrepio, devido à questão da temperatura. Mas Linger (demorar/hesitar)...?

A história, em si, é muito fraca e aborrecida. Foi um livro tão enfadonho que, apesar de ser pequenito, demorei uma semana a lê-lo. As personagens continuam muito fracas, não me despertaram o interesse.

Em termos mais técnicos, a escrita é muito básica e, de certa forma, ainda bem que assim era, porque quando a autora tentava ter alguma perspicácia para ser criativa, só saía disparate... cheguei até a dar algumas gargalhadas.

A questão da temperatura aparenta já não ter muita importância, visto que já mal aparece no livro. A mudança de pontos de vista é ridícula. Cada capitulo era "visto" de um ponto de vista diferente... a escrita na 3ª pessoa serve para alguma coisa. Outra coisa, com tantas mudanças de pontos de vista o número de capítulos é enorme - Linger conta com 47 capítulos, o que, francamente, é ridículo tendo em conta o tamanho do livro.

Concluindo, foi uma leitura cansativa com um livro extremamente enfadonho.

Ver outras críticas

domingo, 10 de março de 2013

[Crítica] Sweet Temptation, de Maya Banks

Sweet TemptationSweet Temptation by Maya Banks
My rating: 2 of 5 stars

★★☆☆☆ { 2.5 }

Sinopse
Ele era um policial que seguia as regras, mas as quebrava no quarto... Micah Hudson tem segredos dolorosos que são difícieis de esquecer. Ele tem novos amigos, uma nova vida, mas está prestes a ser confrontado com a única pessoa que o faz lembrar de tudo que tentou esquecer — Angelina, a irmã de seu mais velho amigo David. Ela sabe tudo sobre seu passado, incluindo como ele e David, se apaixonaram pela mesma mulher, e como decidiram que a melhor maneira de impedir de ela os separar, era compartilhá-la entre eles. Mas, então, um terrível acidente deixou Micah sozinho... Ela estava disposta a fazer qualquer coisa para fazê-lo ver a mulher que se tornou... Micah perdeu as duas pessoas que significavam tudo no mundo para ele. Angelina perdeu sua única família. E continuou a guardar profundamente seu segredo no coração. Seu amor por Micah. Não mais disposta a esperar, decide então que é hora de ir atrás dele e deixa-lo de joelhos. Ela conhece seus segredos, seus desejos, suas perversões e fetiches, e vai usar o que for preciso para envolve-lo. Atrás da fachada tranquila e amante das mulheres, vive um homem com escuras necessidades e paixões. Ela pode dar-lhe o que quer. Mas será que ele acha que ela é o que precisa?
Fonte

Opinião:
Desde o início da série que o Micah é o personagem de que menos gosto e, por isso, já sabia que ia sofrer com este livro, visto que é centrado nele. Até que nem foi tão mau como eu pensava... LOL.
Finalmente, conseguimos descobrir qual era o seu grande segredo. Basicamente SPOILERS! ele partilhava (em todos os aspectos) a mulher com o melhor amigo e parceiro de trabalho, até ao dia em ambos morrem num acidente de carro. Micah, cheio de culpa pelo sucedido, abandona Miami (e a Angelina - a irmão do David, o melhor amigo - aliás, nem se lembrou da existência dela, quando ela mais precisava dele). Mas volta todos os anos, no aniversário da morte dos seus companheiros de casamento à trois, e vai visitar as sepulturas e vai... ser chicoteado... pela Angelina (mascarada, claro). Fascinante, não? FIM DE SPOILERS!  

Em termos técnicos, a escrita mantém-se razoável, mas a descrição das personagens (finalmente) melhorou. A capitulação continua simplesmente parva. O livro inteiro tem cerca de quarenta capítulos.

Gostei muito do momento com a Julie e o Nathan, em que eles (finalmente) dizem I Love You e decidem casar. Até agora, foi, sem dúvida, o meu casal favorito. Gostei, também, de quando foi a Angelina a tomar controlo no quarto e o Micah tomou a posição de submisso. Já não era sem tempo... E ainda por cima com o Micah! LOL
Toda a possessão do homem com a mulher nos livros é tão infantil... é do estilo boys and their toys. Não me agrada, de todo!

Coisas que não consigo compreender...
SPOILERS! Primeiro, o Micah era tão contra a Angelina ter algum significado sexual, para ele ou para qualquer outro homem e, depois, objectivou-a até mais não…

Tem um stalker atrás dela e vai para a "Casa" – ok, é compreensível, para estar mais segura. Mas depois vai para o piso de baixo com o Micah fazer sexo com mais uns tantos que não conhece de lado nenhum… (wtf?)

Ao Micah não lhe incomoda partilhar a "companheira" com mais não sei quantos homens, mas tê-la a dormir (só dormir) na cama de um amigo dele que só a estava a protegê-la, quando o Micah a mandou para a rua, é que não...! Passou-se... E quando ela não quer voltar para "A Casa" com ele, o que é o Micah faz? Pega nela (estilo homem das cavernas) e leva-a. Que gentleman...
FIM DE SPOILERS!  


Já estava desconfiada sobre a identidade do stalker que estava a perseguir a Angelina. Contudo, não estava à espera da confissão que ele fez - SPOILERS! que foi ele o responsável pela morte do David, o irmão da Angelina, e da mulher do Micah FIM DE SPOILERS! . Essa levou-me de surpresa!
Também me levou de surpresa a maneira como a autora fez aquela parte final do livro, como todo aquele suspense. Foi interessante, porque quando eu pensava que ia acontecer uma coisa, não acontecia... não foi previsível e isso é bom.

Gostei do fim. Apesar dos seus problemas, ficaram juntos, com um bebé a caminho e, o mais importante, numa relação monógama.
Não estava à espera do bebé, porque não faz o estilo da autora. E, sinceramente, não sei se o Micah se vai adaptar muito bem ao papel de pai... mas veremos.

Concluindo, gostei quanto baste. Não foi o meu favorito da séries, mas foi o meu segundo favorito - sendo o primeiro o terceiro volume.

Ver outras críticas

sábado, 9 de março de 2013

[Crítica] The Only Way Out, de Susan Mallery

The Only Way OutThe Only Way Out by Susan Mallery
My rating: 2 of 5 stars

★★☆☆☆

Sinopse
Andie Cochran pensou que tinha finalmente escapado das garras de seu cruel ex-marido - mas ele raptou a criança que ela ama mais do que a própria vida. E agora, só, num país estrangeiro, ela não tinha a quem recorrer, mas a um outro homem muito perigoso - um homem que desperta paixões que ela tinha pensado mortas há muito tempo.

Jeff Markum tinha chegado a este lugar em busca de vingança, não se importando que a morte poderia facilmente ser o preço que teria de pagar. Mas, agora, contra a sua vontade, uma mulher estava fazendo ele se preocupam com algo mais do que a vingança - uma mulher que havia pertencido ao homem muito ele queria destruir.
Fonte

Opinião:
Já li muitos livros de Susan Mallery, mas este não foi, sem dúvida, o meu favorito. Gostei do livro, mas não o suficiente para dar mais que duas estrelas. Aliás, como a própria descrição das estrelas diz... "It was OK".

A escrita estava boa, como de costume. Contudo, não me consegui prender nem às personagens, nem às suas acções, nem ao enredo...

Concluindo, foi uma leitura leve e interessante quanto baste, mas não foi o melhor de Mallery!

Ver outras críticas

quinta-feira, 7 de março de 2013

[Crítica] City of Lost Souls, de Cassandra Clare

City of Lost Souls (The Mortal Instruments #5)City of Lost Souls by Cassandra Clare
My rating: 3 of 5 stars

★★★☆☆ { 3.5 }

O demônio Lilith foi destruída e Jace, foi libertado de seu cativeiro. Mas quando os Shadowhunters chegam para resgatá-lo, eles encontram apenas sangue e vidros quebrados.Não é apenas o garoto ama Clary falta, mas assim é o menino que ela odeia, Sebastian, o filho de seu pai Valentine: um filho decidido a ter sucesso onde seu pai falhou, e trazer os Shadowhunters de joelhos.

Nenhuma mágica da Clave pode convocar pode localizar um menino, mas Jace não pode ficar longe não de Clary. Quando eles se encontram novamente Clary descobre o horror magia morrer Lilith tem forjado Jace não é mais o menino que ela amava. Ele e Sebastian estão ligados um ao outro, e Jace tornou-se o que ele mais temia: um verdadeiro servo do mal dos namorados. A Clave é determinada para destruir Sebastian, mas não há maneira de prejudicar um rapaz sem destruir o outro. Será que os Shadowhunters hesitam em matar um deles?

Apenas um pequeno grupo de Clary e amigos de Jace e familiares acreditam que Jace ainda pode ser salva - e que o destino do futuro do Shadowhunters 'pode depender de que a salvação. Eles devem desafiar a Clave e atacar por conta própria. Alec, Magnus, Simon e Isabelle devem trabalhar juntos para salvar Jace: negociação com a Rainha das Fadas sinistro, contemplando acordos com demônios, e virar à última para as Irmãs de ferro, os tomadores de reclusos e impiedoso armas para o Shadowhunters, que dizer-lhes que não arma na Terra pode romper o vínculo entre Sebastian e Jace. Sua única chance de cortar Jace é livre para desafiar o Céu e Inferno - um risco que poderia reivindicar qualquer, ou todos, de suas vidas.

E devem fazê-lo sem Clary. Para Clary entrou no coração das trevas, para jogar um jogo perigoso completamente sozinho. O preço de perder o jogo não é apenas sua própria vida, mas a alma de Jace. Ela está disposta a fazer qualquer coisa para Jace, mas ela pode mesmo ainda confia nele? Ou ele está realmente perdido? O preço é demasiado elevado a pagar, mesmo para o amor?

A escuridão ameaça para reivindicar os Shadowhunters no livro angustiante quinto episódio da série Mortal Instruments.
Fonte


Opinião:
Gostei! Foi um livro de cortar a respiração e de estar ali agarrada até ao fim… Contudo, apesar de todos os aspectos positivos, não foi excepcional. O meu favorito desta saga, até agora, foi City of Glass.
Clare voltou a mencionar o Will Herondale. Gostei! Ainda não li a trilogia que serve de prequela a esta saga, mas serão os próximos da autora que vou ler. Depois de os ler, quando re-ler esta saga, vou ter imensos ataques de fangirl quando algo da prequela for mencionado...!

Agora, vou ficar em ressaca de Mortal Instruments até 2014. Mas, pelo menos, tenho a prequela. :)


Ver outras críticas

quarta-feira, 6 de março de 2013

[Crítica Filme] Criaturas Maravilhosas

★★★☆☆  {  3.5  }


Na passada quinta-feira, dia 28, vi (finalmente!) Criaturas Maravilhosas (título original – Beautiful Creatures). Podem ler a minha crítica ao livro aqui. Eis a crítica ao filme.

SPOILER ALERT (caso não queiram spoilers, não leiam o resto)

sábado, 2 de março de 2013

[Crítica] Sacred Sins, de Nora Roberts

Sacred Sins (SS/BV, #1)Sacred Sins by Nora Roberts
My rating: 3 of 5 stars

★★★☆☆

Combinando cenas de suspense explosivo com paixões arrebatadoras, Nora Roberts bota pra ferver nesta novíssima e clássica história - a tórrida narrativa de um casal no encalço de um assassino enlouquecido, uma busca que os fará mergulhar de cabeça no perigo.

Nos indolentes dias de verão, uma impiedosa onda de calor é o principal assunto na capital norte-americana. Mas a condição climática logo deixa de ser matéria das primeiras páginas quando uma jovem é encontrada morta por estrangulamento. Um bilhete foi deixado: Seus pecados lhe são perdoados.
Logo surgem duas outras vítimas, e, de repente, as manchetes passam a ser dedicadas ao assassino que a imprensa apelidou de "Padre".
Quando a polícia pede à Dra. Tess Court, uma psiquiatra renomada, que auxilie na investigação, ela apresenta o retrato de uma alma perturbada.
O detetive Ben Paris não dá a mínima para a psique do assassino. No entanto, o que ele não consegue descartar com facilidade é a sensual Tess.
Moreno, alto e bonitão, Ben tem uma reputação lendária com as mulheres, mas a fria e elegante Tess não reage como as outras que ele conheceu... e o detetive acha o desafio sedutor. Agora, enquanto os dois estão juntos numa perigosa missão para deter um serial killer, irrompe a chama de uma paixão incandescente.
Mas há alguém que também está de olho na linda médica loura... e só resta a Ben rezar para que, se o assassino atacar, ele consiga detê-lo antes que seja tarde demais...
Fonte

Opinião:
Este é o primeiro de dois livros da "fabulástica" autora Nora Roberts, sendo o segundo - Brazen Virtue. Já li o segundo livro há algum tempo e gostei. Este não se fica atrás.
Este primeiro livro centra-se em Ben e Tess e o segundo volume, centra-se em Ed (companheiro de trabalho de Ben) e Grace. Gostei muito dos dois casais. :)

Como sempre, a escrita de Roberts é fenomenal e a história é fantástica, de cortar a respiração e de ficar em suspense até ao fim. Costumo ter sempre os meus suspeitos no que diz respeito ao assassino e costumo quase sempre acertar, mas, devo dizer, que neste livro, a revelação do assassino levou-me completamente de surpresa. Não estava nada à espera.

Contudo, só tenho um senão... é que tal como no segundo volume, achei que a história foi muito breve.

Concluindo, trata-se de uma leitura leve e rápida que nos prende até ao fim. Gostei! :)

Ver outras críticas