segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

[Crítica] Sweet Persuasion, de Maya Banks

Sweet PersuasionSweet Persuasion by Maya Banks
My rating: 2 of 5 stars

★★☆☆☆

Por cinco anos, Serena comandou a Fantasy Incorporated, e dedicou seu tempo para a concretização das fantasias dos clientes. Nunca a sua. Até agora... Seu desejo mais secreto é dar a posse de seu corpo a um homem. Alguém que vai comandá-la, seu prazer, e ter total autoridade sobre ela. Então, ela procura Damon Roche, dono de um clube de sexo exclusivo, ele é um homem forte o suficiente para fazê-la fazer qualquer coisa que ele queira. Qualquer coisa. Juntos eles viajam para um mundo em que ela apenas sonhou. A ela é dada a oportunidade de mergulhar em uma vida diferente, enquanto sua vida normal aguarda para voltar, sempre que desejar. Damon não tem nenhum desejo de deixá-la ir, no entanto. Serena é a mulher que procurou por muito tempo, e cabe a ele convencê-la a ficar, quando o jogo terminar. Ele quer que sua fantasia se torne realidade, e ter Serena para ser mimada, acarinhada e submissa.
Fonte  

Opinião:
Assim que comecei a ler, apercebi-me imediatamente de semelhanças entre a Faith (do livro anterior) e a Serena – ambas, sexualmente frustradas, procuram o BDSM como escape de uma vida sexual monótona ou inexistente. A linguagem, como de costume, é forte, mas tendo em conta o género literário, é compreensível. Ainda não estou muito familiarizada com este género de livros, mas, pelo menos nestes livros, parece-me tudo muito abusivo e controlador, mesmo fora do quarto. Ora, embora não esteja muito dentro do tema, penso que não seja a melhor maneira de ter uma relação por mais kinky que seja.

Apesar de não ser o primeiro livro erótico que li, continuo a achar isto tudo muito estranho. Em primeiro lugar, aquela família da Faith e os seus amigos mais chegados é tudo uma grande cambada de tarados. O que eles precisam é de um bom terapeuta sexual. LOL. Principalmente o Micah.

Quanto às personagens, não adorei a Serena, mas também não desgostei completamente; Do Damon... já não achava grande coisa dele do livro anterior, neste... Ui! Achei-o muito controlador e abusador com a Serena. Não gostei disso. Outra coisa... a grande amizade entre a Faith e o Damon continua muito estranha para mim. Não consigo sentir a ligação de uma amizade, aliás não consigo sentir nada... até podiam ser estranhos.

E que raio de alcunha foi aquela que ele lhe deu? Serena minha... (wtf?)

Tenho que falar sobre isto, pois não posso ignorar esta cena... SPOILERS! aquela cena, depois da "semana de fantasia de submissão" da Serena, quando a Serena minha começa a ter duvidas se deverá continuar ou não com o relacionamento, e vai para a casa do Damon depois do trabalho, como estava acordado no contracto. Entretanto, o Damon está super preocupado porque ninguém sabia dela e quando ela finalmente apareceu, ele disse-lhe que tinham convidados, para ela entrar e vestir aquilo que ele tinha escolhido para ela. E a Serena, como qualquer mulher que se respeita, o que é que decide fazer...? Obedece-lhe... (ou quase, visto que não vestiu o que ele lhe mandou, preferiu ir ter com os convidados nua). GRR!! Em vez de falar com ele, explicar a situação e ver se conseguiam chegar a um entendimento melhor... tive esperanças que ela assim fizesse até à última, mas não. E ele, depois, ainda ficou a pensar nos castigos para lhe dar, por ela lhe ter desobedecido. Ó sim, AMOR! E quem era um dos convidados? O Micah, é claro. E lá vai ele outra vez a meter-se entre um casal... Já enjoa...

O pior veio depois... A Serena minha não queria desiludir o seu Damon, porque fracasso dela era o fracasso dele como mestre... Opá! Poupem-me... isto mais parece a psicologia da violência domestica.
Ele não a queria castigar, mas tinha que ser para ela aprender...


"the punishment was necessary"


Como mulher, não consigo perceber nem respeitar os outros seres do meu sexo que se submetem a isto, gostam e, se depois alguma coisa corre mal, a culpa é toda delas... 
FIM DE SPOILERS!  


Contudo, apesar de todos os aspectos negativos já citados, gostei de quando a autora nos deu a conhecer SPOILERS! a mãe do Damon e algumas histórias do seu passado - fê-lo parecer mais... humano, mais real. Gostei, também, da cena quando o Damon e a Serena fizeram amor - mostrou que não tem que ser tudo kinky stuffFIM DE SPOILERS!  
Contudo, tal como no livro anterior não tive qualquer sensação de que os dois se amassem.

Concluindo, apesar de não estar a adorar a série, vou fazer um esforço para acabá-la.

Ver outras críticas

Sem comentários:

Enviar um comentário