quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

[Crítica] Beautiful Creatures, de Kami Garcia e Margaret Stöhl

Beautiful Creatures (Caster Chronicles, # 1)Beautiful Creatures by Kami Garcia
My rating: 3 of 5 stars

★★★☆☆

Lena Duchannes é diferente de qualquer pessoa que a pequena cidade sulista de Gatlin alguma vez conheceu. Ela luta para esconder o seu poder e uma maldição que assombra a família há gerações. Mas, mesmo entre os jardins demasiado crescidos, os pântanos lodosos e os cemitérios decrépitos do Sul esquecido, há um segredo que não pode ficar escondido para sempre. Ethan Wate, que conta os meses para poder fugir de Gatlin, é assombrado por sonhos de uma bela rapariga que ele nunca conheceu. Quando Lena se muda para a mais infame plantação da cidade, Ethan é inexplicavelmente atraído por ela e sente-se determinado a descobrir a misteriosa ligação que existe entre eles. Numa cidade onde nada acontece, um segredo poderá mudar tudo.

Não conhecia a série, nem nunca tinha ouvido falar das autoras. Tive conhecimento, pela primeira vez, quando o trailer do filme baseado neste primeiro volume passou no cinema. Adorei o trailer e achei a história muito interessante e, visto que está quase a estrear, decidi ler os livros primeiro.
Gostei do livro, especialmente por não seguir os estereótipos que normalmente se vê em livros de YA (Young Adult). Na maioria dos casos, é a rapariga a protagonista. Mas não com esta série. Em Beautiful Creatures, o protagonista da história é Ethan Wate, um rapaz simples que só quer é fugir da pequena cidade de Gatlin no Sul dos EUA até que conhece Lena, uma rapariga misteriosa que vai mudar a sua vida para sempre.

O que eu mais gostei do livro foi o facto de não ser previsível, como muitas vezes acontece com livros deste género. Quando eu pensava que ia acontecer uma coisa, acontecia outra completamente diferente.

Gostei muito das personagens, achei-as muito realistas. Até aquelas raparigas insuportáveis do liceu... fizeram-me lembrar tanto as criaturas insuportáveis do meu secundário. Os protagonistas, a Lena e o Ethan pareceram-me, também, muitos realistas - as suas inseguranças, sua intensidade, etc. Gostei muito, muito da Lena, mas a minha personagem favorita foi, sem dúvida, a Ridley. Adorei o seu charme de bad girl, apesar de, na realidade, ser boa pessoa. :)

Contudo, apesar de todos os aspectos positivos, eu tenho expectativas muito altas cada vez que pego num livro que seja muito aclamado e é sempre extremamente difícil o livro superar as expectativas. Foi o que aconteceu neste caso, por isso não dei uma qualificação melhor.

Não vou dar spoilers, mas fiquei muito confusa com o fim do livro. Não estava, de todo, à espera. Grande twist!
Agora estou muito ansiosa por ler os próximos volumes.

Ver outras críticas

Sem comentários:

Enviar um comentário